terça-feira, 26 de julho de 2011

Incrível normalidade de Diana

Senti saudades da bela Diana esses dias. Minha amiga estava desbravando o mundo, como ela mesmo costuma dizer. Vivendo e aprendendo, ela sorrí. A vida é muito maluca. Muito divertida e envolvente. Quando menos se espera os pensamentos mudam, as sensações ficam intensas e as relações se estreitam. Diana é do tipo que não têm medo de nada, DE NADA MESMO, completa. Nós mulheres, temos o dom de transformar situações extremas em divertidos momentos de prazer...risos. UAU, grito eu! Diana vai logo dizendo que foi apenas uma expressão... (ela detesta baixaria...ahãm...). Diana adora fantasiar. Adora pensar, pensar. Adora fazer planos. Adora sonhar, imaginar como pode ser seu futuro. Como pode ser o futuro alheio. Sua filosofia diz que brincar de sonhar pode virar realidade. E olha que eu bem sei que pode! O que é ser normal? Pergunta minha grande amiga. Bom, respondo que não sou a pessoa com a maior propriedade do universo para falar sobre tal. No entanto, nós duas adoramos divagar sobre o assunto... risos. Creio que todos os seres pensantes em algum momento da vida entram em crise existencial com a "normalidade" e com a "loucura". Diana diz que a linha é muito tênue entre esses dois opostos. Em questão de segundos a loucura invade a normalidade e vice-versa. Damos risada. Que papo de louco, digo. A época de "ser normal" já não existe mais. O politicamente correto anda fora de moda. Não existem mais regras, normas. Hoje cada um é o que quer, faz o que bem entende e tranforma o futuro no que a vontade permitir. Diana diz que a vida é louca, bem louca... Tudo de mais insano acontece na mundinho paralelo e complexo dela. Mais uma vez caímos na risada. Diana sem sombra de dúvidas é exagerada! Digo à ela que sua vida não é louca, longe disso. Sua vida é bem abençoada... ôpa se é. Diana sempre viveu longe do que alguns consideram como normalidade, longe daquilo que todos achavam ser o certo, do que era considerado "padrão". Diana nunca deu ouvidos à meias palavras de "meias" pessoas. Diana sempre ousou, errou, caiu, acertou, acertou de novo, errou mais algumas vezes e VIVEU. Sempre. Diana nunca tentou viver dentro da normalidade ou dentro da loucura. Diana nunca ligou para isso ou aquilo. As pessoas mais felizes são aquelas que não tem medo de arriscar. Não tem medo de recomeçar, de reinventar. Não tem medo de sentir medo. Não é nada fácil sair da zona de conforto. O eterno jogo da loteria chamado "Vida" pode nos tornar ganhadores ou perdedores em um piscar de olhos! Diana escuta meu discurso otimista sem respirar. Nada falo, apenas penso que no fundo ela sabe que minhas palavras são verdadeiras. Certeza que sabe. A maioria das pessoas vivem presas em seus achismos, preocupadas com o que o mundo vai achar delas. A maioria das pessoas deixam de ser felizes por receio de sair de suas bolhas imagináveis. Percebo que Diana diz algo. Ela falou baixinho e peço que repita porque não ouvi. Diana fala de novo: Obrigada. Não entendo e pergunto: como assim? Humildemente e com um ar de vergonha minha amiga diz que precisava ouvir minhas palavras. Às vezes precisamos ouvir verdades sobre nós mesmos para reforçar o que jamais devemos esquecer. Diana não é melhor ou pior que ninguém e algumas vezes sente uma certa insegurança. O medo ronda seus sonhos, seu coração, seu futuro, sua postura. Que bom que medo é algo que dá e passa logo, ela ironiza. Exatamente, completo. Diana sabe que seu desafio é diário e eterno. Ser alguém um tanto quanto diferente da maioria gera curiosidade, estranhamento, especulação. Seguir nossos instintos, nossas vontades, ouvir o coração sem se importar com as consequências é uma árdua e excitante escolha. Viver no mundo "normal" de Diana é ter a certeza de aproveitar tudo de bom e ruim que a vida pode oferecer. Me despeço mais uma vez da minha ouvinte predileta, amanhã é um novo e belo dia... Não sei se Diana tem a real noção do que ela significa para as pessoas. Eu (confesso), sou sua maior fã e junto com ela começo, termino e recomeço....É um alimento natural que tenho o prazer de receber. Posso dizer que é a melhor parte de mim:)

Nenhum comentário:

Postar um comentário